Agosto de 2017 –  A 2ª edição do InterLivro: Encontro Internacional de Profissionais do Livro acontece no dia 1º de setembro, a partir das 13h, no Auditório Madureira, Pavilhão 4 (Verde), dentro da programação da Bienal do Livro Rio, no Riocentro. Para participar, o visitante deve fazer a pré-inscrição no site do evento.

Realizado pelo portal PublishNews em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros e a Fagga| GL events Exhibitions, o encontro reunirá um time de editores, agentes e escritores do Brasil e do exterior para debater assuntos que permeiam a indústria livreira.

Alguns destaques são a palestra de abertura sobre as tendências do mercado editorial, comandada pelo americano Ed Nawotka (do Publishers Weekly), às 13h; o bate-papo sobre livro acessível, que terá a participação de Gustavo Almeida, consultor jurídico do SNEL, às 15h30; e a mesa que apresentará o Censo do Livro Digital, com a presença da economista Mariana Bueno, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), às 18h30.

O encerramento será às 19h15, com a entrega do Prêmio Jovens Talentos aos classificados e o ao primeiro colocado, que ganhará passagem e estadia para participar da Feira de Frankfurt, em outubro.

Confira aqui a programação completa.

“O InterLivro caminha junto com o propósito de fortalecer a profissionalização do setor editorial, que é uma das bandeiras fundamentais do SNEL. A Bienal se transformou num grande evento cultural e precisava de uma programação profissional à altura, voltada especialmente para a indústria do livro”, afirma Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL. “Essa parceria com o PublishNews pelo segundo ano consecutivo é muito importante porque dá enfoque a assuntos que enriquecem o debate e as atividades em nosso mercado, como o livro digital, as experiências internacionais e a acessibilidade, culminando com a entrega do prêmio Jovens Talentos, que teve o apoio do SNEL desde o primeiro momento”, completa.

Agosto de 2017 – Com o tema “O livreiro, de leitor a gestor”, a 27ª Convenção Nacional das Livrarias acontece entre os dias 29 e 30 de agosto no Sheraton Hotel (Av. Niemeyer, 121, Leblon), no Rio de Janeiro, com palestra de abertura comandada pelo cartunista Mauricio de Sousa.

As inscrições estão abertas no site da Associação Nacional de Livarias, com preço promocional até esta sexta-feira (18).

O evento, que tem apoio do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, vai discutir assuntos como a formação do livreiro, dados do varejo de livros no país e empreendedorismo cultural, em diversas mesas ao longo de dois dias.

Na palestra de encerramento do dia 30 (quarta-feira), às 17h15, o presidente do SNEL, Marcos da Veiga Pereira, participará de um debate sobre a Política Nacional do Livro e a regulação de preços pelo Projeto de Lei 49/2015, ao lado do presidente da ANL, Bernardo Gurbanov; Luis Antonio Carvalho (AEL-RJ); Luís Antonio Torelli (CBL); e Mansur Bassit, Secretário da Economia da Cultura.

Confira a programação completa aqui.

Agosto de 2017 – Estão abertas até o dia 05 de setembro as inscrições para o 2º Prêmio Retratos da Leitura, organizado pelo Instituto Pró-Livro, que realiza a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil.

Motivado pela missão de transformar o Brasil em um país de leitores e pelo compromisso de investir em ações para melhorar os indicadores de leitura revelados pela pesquisa, o IPL lançou a Plataforma Pró-Livro. O prêmio, lançado com a Plataforma, veio para coroar os melhores projetos, homenagear e estimular o intercâmbio de experiências promovidas por tantas entidades.

No ano passado foram contemplados projetos como Skoob; Expedição Vaga Lume; Companhia das Letras – Projeto Clube de leitura com remição de pena; Rede Bibliotecas Parque Estadual do Rio de Janeiro e Globo News Literatura.

Para concorrer ao prêmio em 2017, é preciso se inscrever, mesmo que já tenha cadastrado o projeto na Plataforma. Acesse a Plataforma Pró-Livro, leia o regulamento e siga as orientações.

Como no ano anterior, serão escolhidos projetos em quatro categorias: Empresas da cadeia produtiva do livro; Organizações Sociais; Mídia; Bibliotecas públicas e comunitárias. Uma equipe de especialistas fará uma seleção prévia dos finalistas e uma comissão de jurados elegerá três vencedores para cada uma das categorias.

A entrega da segunda edição do prêmio IPL – Retratos da Leitura ocorrerá em novembro de 2017.

Inscreva-se aqui.

Agosto de 2017 – Projetando mais uma vez o fechamento do acumulado do ano com números otimistas, o sétimo período* do mercado livreiro apresentou crescimento de 4,46% em volume e 5,01% em faturamento, em relação ao mesmo intervalo em 2016.

A performance também foi positiva quando comparados os números deste ciclo aos resultados do sexto período (6ºT: 22/05 a 18/06/2017): 4,42% em volume e 1,53% em faturamento.

Na soma das vinte e oito semanas de 2017**, o varejo de livros mantém recuperação diante do baixo desempenho de 2016 e já aponta crescimento de 5,47% nas vendas em volume e 6,59% em valor.

Quanto aos gêneros, destaque para os de Não Ficção Trade, que ganharam importância em faturamento, de 1,18 ponto percentual, e acumulam um resultado expressivo no ano, em valor:

Não Ficção Trade           2016           2017 Variação
Valor R$ 196.821.370,37 R$ 220.791.127,02 12,18%

Esses são alguns dos dados do 7º Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2017, retratados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen. Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

Leia o estudo na íntegra.

* T. Mercado – Período 7: 2016 (20/06 a 17/07/2016) x 2017 (19/06 a 16/07/2017)
**T. Mercado – Acumulado WK01 / WK28: 2016 (04/01 a 17/07/2016) x 2017 (02/01 a 16/07/2017)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Julho de 2017 – Praticamente fechando o primeiro semestre de 2017, o sexto período* do mercado livreiro manteve resultados positivos quando comparado à performance do mesmo intervalo em 2016: +6,44% em volume e +7,99% em faturamento. É o sexto período seguido em que o varejo de livros apresentou desempenho superior ao do ano passado.

No entanto, o intervalo analisado (6T) exibiu uma desaceleração quando equiparado ao anterior (5T, de 24/04 a 21/05/2017): -2% em volume e -5% em faturamento, ainda um reflexo da instabilidade do cenário político-econômico brasileiro.

Já no acumulado do ano**, a conclusão permanece positiva, com crescimento em volume (+5,62%) e em faturamento (+6,81%) – valor acima da inflação acumulada nos últimos 12 meses, o que não acontece desde que o Painel de Vendas começou a ser divulgado, em 2015. “Apesar de os números apontarem a recuperação do mercado geral, as comemorações são discretas em razão do momento de incerteza política e econômica pelo qual passa o país”, comenta Ismael Borges, gestor da Bookscan Brasil.

Esses são alguns dos dados do 6º Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2017, apontados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen. Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

Veja o estudo completo aqui.

* T. Mercado – Período 6: 2016 (23/05 a 19/06/2016) x 2017 (22/05 a 18/06/2017)
**T. Mercado – Acumulado WK01 / WK24: 2016 (04/01 a 19/06/2016) x 2017 (02/01 a 18/06/2017)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Junho de 2017 – A 18ª Bienal Internacional do Livro Rio, que acontece de 31 de agosto a 10 de setembro no Riocentro, deu início à venda de ingressos pela internet nesta sexta-feira (30). As entradas custam R$ 24 (R$ 12 meia) e podem ser adquiridas pelo site www.bienaldolivro.com.br, com validade para um dia de evento.

Ao realizar a compra antecipada, o visitante pode imprimir o bilhete em casa ou apresentar o QR Code direto no celular. Outra opção é retirar o ingresso durante a Bienal, em guichês especiais.

“A venda pela internet é uma forma de oferecer mais conforto ao público, que poderá entrar direto mesmo em dias de mais movimento como fins de semana e feriado. Por isso, incentivamos que o visitante leve o bilhete ou apresente o QR Code”, explica Tatiana Zaccaro, diretora da Bienal.

A Bienal do Livro Rio é fruto de uma parceria de mais de três décadas entre o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e a Fagga | GL events Exhibitions.

Mauricio de Sousa é um dos confirmados na 18ª Bienal Internacional do Livro Rio, que homenageará a literatura nacional

Em sua 18ª edição, o evento vai ocupar uma área de 80 mil m² e terá uma homenageada de peso – a literatura nacional –, reunindo o maior número de autores brasileiros de todos os tempos. Nomes como Frei Betto, Mauricio de Sousa, Aarão Reis, Ana Maria Machado, Heloisa Seixas, Thalita Rebouças e Mario Sérgio Cortella encontrarão com o público em espaços como o Café Literário, o Espaço Jovem e o Geek & Quadrinhos, grande novidade de 2017.

Best-sellers e escritores premiados de diversas nacionalidades como Paula Hawkins (“A garota do trem”), Victoria Schwab (“Um tom mais escuro de magia”) e Gayle Forman (“Se eu ficar”) também estão confirmados.

SERVIÇO 

18ª Bienal Internacional do Livro Rio – de 31 de agosto a 10 de setembro de 2017 no Riocentro (Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca)

Valor do ingresso: R$ 24 I R$ 12 (meia-entrada)

Formas de pagamento pela internet: Amex, Aura, Diners, Hipercard, Mastercard, Elo e Visa.
Formas de pagamento na bilheteria da Bienal: Dinheiro, Mastercard, Redeshop e Visa.

  • Meia-entrada: Concedida a maiores de 60; estudantes de ensino fundamental, médio ou superior das redes pública e particular; e portadores de necessidades especiais. Em todos os casos será necessária a apresentação de documento comprobatório.
  • Gratuidade: Crianças com menos de 1 metro de altura; autores (mediante apresentação do livro de autoria própria); professores de escolas ou universidades das redes pública e particular (que devem se dirigir ao guichê de credenciamento tendo em mãos documento de identificação com foto, além de um registro comprobatório do cargo); e profissionais de bibliotecas (com carteira de biblioteconomia).

Junho de 2017 – Estão abertas as inscrições para a 3ª edição do Prêmio Jovens Talentos da Indústria do Livro, realizado pelo PublishNews com patrocínio do Sindicato Nacional dos Editores de Livros e apoio da Feira do Livro de Frankfurt.

Podem concorrer ao prêmio profissionais de até 35 anos que atuem em qualquer área (editorial, comercial, de marketing, divulgação, administrativa etc.), em editoras, distribuidoras, livrarias ou qualquer outra empresa que integre a cadeia do livro.

Serão selecionados cinco ganhadores. O primeiro colocado receberá passagem para Frankfurt, estadia durante a Feira do Livro (de 11 a 15 de outubro), uma ajuda de custo no valor de 500 euros e ingresso para o Business Club (BC), a área Vip da Feira Frankfurt. Os outros quatro premiados ganharão ingressos para o BC.

Para participar, valem tanto indicações de terceiros quanto inscrições próprias. Os candidatos – ou seus padrinhos – devem encaminhar, até o dia 25 de julho, um e-mail para inscricao@premiojovenstalentos.com.

Além de nome completo, telefone e endereço eletrônico do candidato, a mensagem deve conter um texto com até 4 mil caracteres explicando por que aquela pessoa merece o prêmio, ressaltando suas realizações e contribuições para a indústria do livro.

Materiais de apoio à indicação – como cartas de referência de colegas e superiores, relatórios de vendas, receita gerada, estudos de eficiência, campanhas executadas, materiais editados, entre outros – também podem ser anexados, assim como o endereço do LinkedIn do participante, caso tenha.

Para mais informações, acesse o hotsite do Prêmio Jovens Talentos.

Junho de 2017 – O quinto período* do ano manteve a curva positiva dos resultados do mercado livreiro. Os dias analisados* mostraram melhora de performance em comparação à mesma época em 2016, com crescimento de 4,13% em volume e 7,27% em faturamento.

Os números deste intervalo eram aguardados com boas expectativas devido às vendas do Dia das Mães. A data contribuiu para que os resultados seguissem positivos, já que tanto o feriado prolongado do Dia do Trabalho na primeira semana de maio quanto a instabilidade do cenário político na última semana do mês acabaram impactando o desempenho do varejo de livros.

Tano que, em relação ao período período anterior (4T), os números mostraram uma pequena desaceleração: + 1% em volume e – 4% em faturamento. No acumulado do ano**, eles foram positivos em ambas as variáveis: 5,49% em volume e 6,63% em valor, comparando com 2016.

Esses são alguns dos dados do 5º Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2017, apresentados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen. Os números têm como base o resultado de Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

Acesse o estudo na íntegra aqui.

* T. Mercado – Período 5: 2016 (25/04 a 22/05/2016) x 2017 (24/04 a 21/05/2017)
**T. Mercado – Acumulado WK01 / WK20: 2016 (04/01 a 22/05/2016) x 2017 (02/01 a 21/05/2017)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Maio de 2017 – O quarto período* do Painel de Vendas de Livros de 2017 apresentou resultados mais tímidos que o anterior, mas garantiu o ritmo de recuperação do ano em comparação a 2016.

Impactado por dois feriados prolongados consecutivos (14/04, Sexta-feira Santa, e 21/04, Tiradentes), o período analisado permaneceu estável em relação aos resultados em volume e faturamento, que foram 1,80% e 4,15%, respectivamente, maiores que no mesmo intervalo em 2016.

No acumulado do ano, mesmo que com resultado menor que o do fechamento do trimestre, o mercado mostrou desempenho positivo em volume, 5,78%, e em faturamento, 6,51%.

Esses são alguns dos dados do 4º Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2017, apresentados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen. Os números têm como base o resultado de Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

Veja o estudo completo aqui.

* T. Mercado – Período 4: 2016 (28/03 a 24/04/2016) x 2017 (27/03 a 23/04/2017)
**T. Mercado – Acumulado WK01 / WK16: 2016 (04/01 a24/04 /2016) x 2017 (02/01 a 23/04/2017)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Apresentação da pesquisa aconteceu nesta quarta (17) na sede do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, no Rio. Da esquerda para direita, o presidente do SNEL, Marcos da Veiga Pereira; a Profª Leda Paulani e a economista Mariana Bueno, da Fipe; e Fernanda Garcia, diretora da CBL.

Confira aqui o estudo na íntegra.

Setor editorial teve queda real de 5,2% em 2016

A pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial  Brasileiro revela que editoras acumularam um recuo superior a 17% em dois anos consecutivos afetados pela crise econômica no país

Em 2016, o setor editorial brasileiro produziu 427,2 milhões de exemplares, vendeu 385,1 milhões e faturou R$ 5,27 bilhões. É o que mostra a nova edição da Pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a pedido do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e da Câmara Brasileira do Livro (CBL).

Comparado a 2015, o faturamento total das editoras no ano passado apresentou crescimento nominal de 0,74%, o que significa um decréscimo real de 5,2%, levando em conta a variação do IPCA de 6,3% no período.

Apesar de menos acentuada que no ano anterior – quando alcançou a marca dos 12,6% negativos –, a queda em 2016 traz consequências expressivas para a indústria do livro que, em dois anos, acumulou uma redução de mais de 17% em termos reais.

Neste cenário, pesou o desempenho do segmento mercado, cujo faturamento de R$ 3,8 bilhões representou uma queda nominal de 3,3%. O número implica um recuo acentuado das vendas de livros específicas para o mercado nos dois últimos anos: considerando as performances consecutivas de 2015 e 2016, a queda real acumulada em valor é superior a 20%.

No caso das vendas para o governo, os números se mostram positivos tanto em termos de faturamento (R$ 1,4 bilhões, com aumento de 13,8%) quanto em número de exemplares vendidos, que cresceu 16,5% em 2016, indo para 156,8 milhões.

Voltando a analisar o faturamento com as vendas ao mercado, os subsetores de CTP (Científicos, Técnicos e Profissionais) e de Obras Gerais foram os que mais encolheram. Impactadas pela crise econômica nacional, as editoras de CTP tiveram uma queda nominal de 10,5% (e real de 15,85%) em valor, seguidas pelas editoras de Obras Gerais, que faturaram 4,8% a menos em termos nominais. O subsetor de Religiosos, que havia se mantido estável em 2015, também sofreu redução em valor (4,6%, nominal) no ano passado.

Na contramão dos índices negativos, aparece o subsetor de Didáticos, que, no mercado, ascendeu 3,7% (nominal) em faturamento, indo para R$1,4 bilhões.

Produção

O total de exemplares produzidos caiu 4,4% em 2016.

Quanto à tiragem de obras lançadas, houve redução de 8,57% em 2016 (80.026.152 novos exemplares produzidos). Os subsetores de Obras Gerais e de Científicos, Técnicos e Profissionais (CTP) foram os mais contidos na produção total de exemplares (novos ISBN + reimpressões) no ano passado, reduzindo suas tiragens em 9,6% e 7,6%, respectivamente, em comparação a 2015.

A pesquisa indica, ainda, que foram editados 51,8 mil títulos em 2016, dos quais 17,37 mil são novos.

Áreas temáticas

Entre as 24 áreas temáticas que o estudo abrange, estão em primeiro lugar as obras classificadas como Didáticas, com participação de 48,48% no total de exemplares produzidos em 2016. Na sequência, vêm os exemplares de Religião (20,79%), Literatura adulta (7,71%), Autoajuda (4,78%), Literatura Infantil (3,89%) e Literatura Juvenil (2,39%). Nesta lista, chama atenção o aumento da participação dos livros do gênero Biografia (1,2%), que tiveram um crescimento de 22,5% em exemplares produzidos em 2016 (5,14 milhões), e também a queda expressiva dos títulos de Medicina, Farmácia, Saúde Pública e Higiene, com redução de 4,3 milhões de exemplares produzidos em 2016 e uma participação de 0,93%.

Como o livro chega ao mercado

Com 119,4 milhões de exemplares vendidos (52,73% do total comercializado no mercado, excluindo-se governo), as livrarias se mantiveram como o principal canal de venda das editoras. Os distribuidores representaram a venda de 39 milhões de livros, o equivalente a 17,22%. O segmento porta a porta teve participação de 8,18%, com 18,5 milhões de livros. Já as livrarias exclusivamente virtuais apresentaram um crescimento em sua participação nas vendas em 2016, subindo de 1,97% para 2,43%, o que significa 5,5 milhões de exemplares vendidos.

A comercialização em igrejas e templos (4,88%), supermercados (3,44%) e escolas (2,5%) também tem relevância. A venda direta nos sites das editoras segue modesta, com participação de apenas 0,73% do total.

Produção digital

Pela primeira vez desde 2014, quando passaram a integrar a pesquisa, os dados referentes à produção de conteúdo digital das editoras não entraram na edição. Os números da produção de e-books no país ganham em 2017 um diagnóstico exclusivo – o Censo do Livro Digital, estudo inédito que realizará o mapeamento da produção digital brasileira.

Com apresentação prevista para agosto, o Censo do Livro Digital é mais uma parceria entre o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e a Câmara Brasileira do Livro (CBL), com realização da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicos (Fipe/USP).

voltar