Agosto de 2018 – Apesar de eventos turbulentos de alto impacto na atividade econômica do país e da crise que o setor editorial enfrenta, as vendas de livros no país fecharam o primeiro semestre de 2018 com saldo positivo.

O acumulado de 2018** mostra crescimento de 5,24% em volume e de 9,97% em faturamento, em comparação ao mesmo período em 2017. O resultado é explicado pelo bom desempenho identificado nos cincos primeiros períodos deste ano, que apontavam para um cenário de faturamento na casa dos dois dígitos e que puxaram para cima o balanço do semestre.

A sequência positiva, no entanto, foi interrompida pela crise nos transportes, que afetou a performance das vendas no 6º período.

O 7º período* continuou em retração: a época coincidiu com a realização da Copa do Mundo e a primeira quinzena de férias escolares, apresentando o pior desempenho do ano do setor, com queda de -9,28% nas vendas em volume e de -3,19% em faturamento, comparado ao mesmo intervalo no ano passado.

“Além dos fatores macroeconômicos e sazonais, não podemos perder de vista o impacto causado pela própria crise dentro do setor, que vem alterando o comportamento de vendas no varejo nos últimos dois meses”, aponta Ismael Borges, gestor de Bookscan da Nielsen Brasil.

Para o presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Marcos da Veiga Pereira, chama atenção a redução do número de ISBNs no 7º período, que indica uma menor bibliodiversidade. “A crise das principais redes de livrarias no Brasil tem feito o mercado se adequar, com a diminuição do número de lançamentos. Evidentemente, isto tem impacto nas vendas, mas precisamos continuar a trabalhar na valorização do livro para reverter este quadro a médio prazo”, afirma.

Esses são alguns dos dados do 7o Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2018, apresentados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen. Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

* T. Mercado – Período 07: 2017 (19/06 a 16/07/2017) x 2018 (18/06 a 15/07/2018)
** T. Mercado – Acumulado WK01 / WK28: 2017 (02/01 a 16/07/2017) x 2018 (01/01 a 15/07/2018)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Veja o estudo completo

Agosto de 2018 –  Pelo quarto ano consecutivo, o PublishNews realiza, em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e com a Feira do Livro de Frankfurt, o Prêmio Jovens Talentos, que vai eleger cinco profissionais de até 35 anos que tenham se destacado pela sua atuação dinâmica e inovadora dentro da indústria editorial brasileira. Um deles viajará para Alemanha para acompanhar a Feira do Livro de Frankfurt (10 a 14/10) com as despesas de passagens aéreas, hospedagem, tickets para o Business Club (BC), a área VIP da Feira, e ajuda de custo no valor de 500 euros. Os outros quatro ganhadores ganharão entradas para o BC caso estejam em Frankfurt.

Podem concorrer profissionais que atuem em qualquer área, seja em editoras, distribuidoras, livrarias ou qualquer outra empresa que integre a cadeia do livro, como explica Carlo Carrenho, fundador e CEO do PublishNews: “O grande diferencial do prêmio é que ele pode contemplar qualquer profissional da cadeia do livro. Normalmente, os editores têm muita visibilidade, enquanto seus colegas de produção, marketing, administrativo quase não aparecem. Este prêmio tenta consertar isto ao oferecer uma oportunidade igual para todos os que constroem a indústria do livro”, explica Carlo Carrenho, fundador e CEO do PublishNews.

“O Prêmio Jovens Talentos é uma iniciativa notável do PublishNews e da Feira de Frankfurt, e o SNEL tem muito orgulho de apoiar com os recursos para a viagem do vencedor à Alemanha. O reconhecimento dado a profissionais que atuam em diferentes áreas das editoras é uma forma de tornar nossa indústria mais atrativa para os jovens que começam a integrar o mercado de trabalho”, afirma Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL.

Para Frankfurt, o Prêmio é uma forma de apoiar as novas gerações. “A lista de pessoas registradas para esse prêmio nos anos anteriores mostra a quantidade de pessoas talentosas que trabalham no mercado editorial brasileiro. Da parte da Feira do Livro de Frankfurt, estamos muito felizes de poder dar continuidade ao Prêmio Jovens Talentos iniciado pelo PublishNews. Graças ao patrocínio do SNEL um ou uma jovem profissional do livro participará da Feira e poderá enriquecer seu conhecimento com uma nova rede de pessoas do mundo inteiro”, comentou Marifé Boix García, vice-presidente da Feira do Livro de Frankfurt para a América Latina.

Na última edição do InterLivro, encontro de profissionais que antecedeu a abertura da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, Gustavo Lembert, sócio-fundador da TAG e ganhador do Prêmio Especial da última edição do Jovens Talentos.

Além de Gustavo, já ganharam o Prêmio Especial do Jovens Talentos Daniel Lameira, em 2015, e Guilherme Filippone, em 2016. Os três ganhadores participam do podcast do PublishNews que será gravado nesta quinta-feira e irá ao ar na segunda (13).

Saiba como se inscrever

Para efeito de inscrições, valem tanto indicações de terceiros como inscrições próprias. Para isso, os candidatos – ou seus padrinhos – devem encaminhar, até o dia 27 de agosto, um e-mail para inscricao@premiojovenstalentos.com.

Na mensagem, além de nome completo, telefone e endereço eletrônico, os candidatos devem enviar um testemunhal com até 4 mil caracteres explicando por que essa pessoa merece o prêmio. É importante ressaltar no testemunhal as realizações do(a) indicado(a) e como ele(a) contribuiu para a indústria do livro, fazendo algo acima da média e de sua mera obrigação.

Podem e devem ser enviados materiais de apoio à indicação, tais como cartas de referência de colegas e superiores, assim como qualquer forma de documentação que comprove as contribuições do(a) indicado(a), tais como relatórios de vendas, negócios fechados, receita gerada, estudos de eficiência, campanhas executadas, materiais editados etc.

É importante incluir o endereço de LinkedIn se o indicado(a) possuir. Nesse ano, a equipe do PublishNews poderá, pela primeira vez, fazer indicações de profissionais desde que cumpridos os requisitos para a inscrição, podendo ainda escolher entre vencedores de edições passadas não contemplados com a viagem a Frankfurt.

Para mais informações, acesse o hotsite da premiação.

Agosto de 2018 – O presidente do SNEL e sócio da editora Sextante, Marcos da Veiga Pereira, participou do programa “Conversa com Bial” da TV Globo, exibido na madrugada da terça-feira (07), ao lado dos editores Luiz Schwarcz (Companhia das Letras) e André Conti (Todavia).

Além de debater os desafios do cenário atual do mercado editorial brasileiro, o talk-show deu destaque à campanha de incentivo à leitura do SNEL, Leia.Seja., estrelada por Pedro Bial e outras personalidades da cultura brasileira.

Assista ao programa na íntegra.

 

Julho de 2018 – No dia 27 de julho de 2018, representantes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, participaram de uma reunião técnica com editores e distribuidores do país para discutir o modelo de distribuição do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) – Literário.

Durante o evento, que aconteceu na na Secretaria de Educação, em São Paulo, o coordenador-geral dos Programas do Livro do FNDE, Wilson Troque, exibiu uma apresentação que elucida os principais pontos do edital. Acesse o documento na íntegra.

Na ocasião, também foi anunciado a resolução Nº 15, de 26 de julho de 2018 (MEC/FNDE), que dispõe sobre as normas de conduta no âmbito da execução do Programa Nacional do Livro e do Material Didático.

Julho de 2018 – Refletindo o impacto da greve dos caminhoneiros, o sexto período* de 2018 marcou a primeira queda do mercado livreiro no comparativo com a mesma época em 2017.

O intervalo apresentou resultados negativos nas vendas de livros em volume (-4,11%) e em faturamento (-2,95%), mesmo englobando o Dia dos Namorados, data comemorativa importante para o segmento.

Já no acumulado** das 24 semanas analisadas, ainda que com percentual menor, o mercado manteve o ritmo de crescimento em relação ao ano passado, registrando um aumento de 7,5% em volume e de 11,69% em valor.

“A queda já era esperada devido à greve dos caminhoneiros e também em razão do início da Copa do Mundo. É importante estar atento ao próximo período, que refletirá de fato o foco dado ao evento esportivo”, comenta Ismael Borges, líder da Nielsen Bookscan Brasil.

Esses são alguns dos dados do 6º Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2018, apresentados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen. Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

* T. Mercado – Período 06: 2017 (22/05 a 18/06/2017) x 2018 (21/05 a 17/06/2018)
** T. Mercado – Acumulado WK01 / WK24: 2017 (02/01 a 18/06/2017) x 2018 (01/01 a 17/06/2018)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Confira o estudo completo

Julho de 2018 – O Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) estará presente na 28ª edição da Convenção Nacional de Livrarias, que acontece no dia 1º de agosto, no Hotel Unique, em São Paulo, com realização da Associação Nacional de Livrarias (ANL).

Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL, integrará o painel nomeado com o tema do evento: “O Ecossistema do Livro – uma visão institucional”, marcado para as 15h. Ao lado de Pereira no debate, estarão Bernardo Gurbanov, presidente da ANL e anfitrião da convenção; e Luís Antonio Torelli, presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL).

A programação do evento tem início às 9h e segue ate às 18h30, com palestras e mesas compostas por especialistas e profissionais do setor do livro e da leitura que discutirão a importância da articulação de todos os atores da cadeia livreira, a partir de temas atuais que movem a indústria.

A palestra inaugural “Brasil: entre o passado e o futuro” será com Eduardo Giannetti, economista, filósofo e escritor. No encerramento, Peter Kronstrom, diretor do Copenhagen Institute for Futures Studies, comentará o tema “O livro e a sociedade do conhecimento”.

Confira a programação completa e inscreva-se para o evento no site da ANL.

SERVIÇO: 28ª Convenção Nacional de Livrarias – O Ecossistema do Livro

01 de agosto de 2018 (quarta-feira), de 9h às 18h30

Local: Hotel Unique – Av. Brigadeiro Luis Antonio, 4700, São Paulo/SP

Informações: (11) 3337 5419 – www.anl.org.br

Julho de 2018 – O presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Marcos da Veiga Pereira, é um dos convidados para integrar um debate sobre a Política Nacional de Leitura e Escrita (PNLE) durante a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) 2018.

A mesa “Marcos legais: como garantir o direito à literatura para todos os brasileiros” está programada para o dia 28/07, às 17h, na Casa Libre & Nuvem de Livros (Rua da Lapa, nº 8, Paraty) e discutirá os próximos passos da Lei n.º 13.696 de 12 de julho de 2018, que instituiu a PNLE e ficou conhecida como “Lei Castilho”.

Ao lado de Marcos, estarão José Castilho Marques Netto, ex-secretário do PNLL, que dá nome à lei; Renata Costa, atual secretária do PNLL, que dá nome à Lei; Guilherme Relvas, diretor do Livro e Leitura do Ministério da Cultura (MinC); Luís Antônio Torelli, presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL); e Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre).

O encontro será mediado por Volnei Canônica, diretor do Centro de Leitura Quindim e ex-secretário do Ministério da Cultura.

Confira a programação completa da Casa Libre no site da entidade.

Julho de 2018 – Foi publicada na edição do Diário Oficial desta sexta-feira (13) a sanção presidencial à Lei 13.696, que institui a Política Nacional de Leitura e Escrita (PNLE).

Conhecida como Lei Castilho – por ter sido apresentada por José Castilho Marques Neto, ex-secretário executivo do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) –, a Lei estabelece diretrizes que devem contribuir para a universalização do direito ao acesso ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas.

Veja na íntegra:

LEI Nº 13.696, DE 12 DE JULHO DE 2018

Institui a Política Nacional de Leitura e Escrita como estratégia permanente para promover o livro, a leitura, a escrita, a literatura e as bibliotecas de acesso público no Brasil.

Implementação | A Política Nacional de Leitura e Escrita será implementada pela União, por intermédio do Ministério da Cultura e do Ministério da Educação, em cooperação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios e com a participação da sociedade civil e de instituições privadas.

Regulamentação | Ato conjunto do Ministério da Cultura e do Ministério da Educação regulamentará o disposto nesta Lei.

Plano Nacional |  Para a consecução dos objetivos da Política Nacional de Leitura e Escrita, será elaborado, a cada decênio, o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), que estabelecerá metas e ações, nos termos de regulamento.

·    Prazo: Será elaborado nos 6 primeiros meses de mandato do chefe do Poder Executivo, com vigência para o decênio seguinte.

·    Competência: Será elaborado em conjunto pelo Ministério da Cultura e pelo Ministério da Educação de forma participativa, assegurada a manifestação do Conselho Nacional de Educação (CNE), do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) e de representantes de secretarias estaduais, distritais e municipais de cultura e de educação, da sociedade civil e do setor privado.

·    Acessibilidade: Deverá viabilizar a inclusão de pessoas com deficiência, observadas as condições de acessibilidade e o disposto em acordos, convenções e tratados internacionais que visem a facilitar o acesso de pessoas com deficiência a obras literárias.

Planos estruturantes | A Política Nacional de Leitura e Escrita observará, no que couber, princípios e diretrizes de planos nacionais estruturantes, especialmente do:

·    Plano Nacional de Educação (PNE);

·    Plano Nacional de Cultura (PNC);

·    Plano Plurianual da União (PPA).

Objetivos | São objetivos da Política Nacional de Leitura e Escrita:

·    Ampliação de acervos físicos e digitais: Democratizar o acesso ao livro e aos diversos suportes à leitura por meio de bibliotecas de acesso público, entre outros espaços de incentivo à leitura, de forma a ampliar os acervos físicos e digitais e as condições de acessibilidade;

·    Formação continuada: Fomentar a formação de mediadores de leitura e fortalecer ações de estímulo à leitura, por meio da formação continuada em práticas de leitura para professores, bibliotecários e agentes de leitura, entre outros agentes educativos, culturais e sociais;

·    Campanhas: Valorizar a leitura e o incremento de seu valor simbólico e institucional por meio de campanhas, premiações e eventos de difusão cultural do livro, da leitura, da literatura e das bibliotecas;

·    Aquisição de acervos, feiras e eventos: Desenvolver a economia do livro como estímulo à produção intelectual e ao fortalecimento da economia nacional, por meio de ações de incentivo ao mercado editorial e livreiro, às feiras de livros, aos eventos literários e à aquisição de acervos físicos e digitais para bibliotecas de acesso público;

·    Pesquisa e Intercâmbio: Promover a literatura, as humanidades e o fomento aos processos de criação, formação, pesquisa, difusão e intercâmbio literário e acadêmico em território nacional e no exterior, para autores e escritores, por meio de prêmios, intercâmbios e bolsas, entre outros mecanismos;

·    Qualificação das bibliotecas: Fortalecer institucionalmente as bibliotecas de acesso público, com qualificação de espaços, acervos, mobiliários, equipamentos, programação cultural, atividades pedagógicas, extensão comunitária, incentivo à leitura, capacitação de pessoal, digitalização de acervos, empréstimos digitais, entre outras ações;

·    Indicadores e estatísticas: Incentivar pesquisas, estudos e o estabelecimento de indicadores relativos ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas, com vistas a fomentar a produção de conhecimento e de estatísticas como instrumentos de avaliação e qualificação das políticas públicas do setor;

·    Capacitação: Promover a formação profissional no âmbito das cadeias criativa e produtiva do livro e mediadora da leitura, por meio de ações de qualificação e capacitação sistemáticas e contínuas;

·    Planos Locais: Incentivar a criação e a implantação de planos estaduais, distrital e municipais do livro e da leitura, em fortalecimento ao SNC; e

·    Ações educativas: Incentivar a expansão das capacidades de criação cultural e de compreensão leitora, por meio do fortalecimento de ações educativas e culturais focadas no desenvolvimento das competências de produção e interpretação de textos.

Diretrizes | São diretrizes da Política Nacional de Leitura e Escrita:

·    A universalização do direito ao acesso ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas;

·    O reconhecimento da leitura e da escrita como um direito, a fim de possibilitar a todos, inclusive por meio de políticas de estímulo à leitura, as condições para exercer plenamente a cidadania, para viver uma vida digna e para contribuir com a construção de uma sociedade mais justa;

·    O fortalecimento do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP), no âmbito do Sistema Nacional de Cultura (SNC);

·    A articulação com as demais políticas de estímulo à leitura, ao conhecimento, às tecnologias e ao desenvolvimento educacional, cultural e social do País, especialmente com a Política Nacional do Livro, instituída pela Lei nº 10.753/03;

·    O reconhecimento das cadeias criativa, produtiva, distributiva e mediadora do livro, da leitura, da escrita, da literatura e das bibliotecas como integrantes fundamentais e dinamizadoras da economia criativa.

Prêmio | Cria também o Prêmio Viva Leitura, que será concedido no âmbito da Política Nacional de Leitura e Escrita com o objetivo de estimular, fomentar e reconhecer as melhores experiências que promovam o livro, a leitura, a escrita, a literatura e as bibliotecas, nos termos de regulamento.

Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. (13/07)

Julho de 2018 –  O Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) do Ministério da Cultura lançou na última sexta-feira (06) três editais ligados ao Programa Leitura Gera Futuro (#leituragerafuturo), com investimento de R$ 6 milhões voltados para a criação de bibliotecas digitais, a realização de feiras literárias e a publicação de livros com temática relacionada aos 200 anos da Independência do Brasil.

Veja abaixo as informações sobre os editais. Para mais detalhes, consulte o portal do Ministério da Cultura.

Edital 1 – Bibliotecas Digitais 2018

Objeto: seleção de projetos que visem a criação do conceito de Bibliotecas Digitais em Bibliotecas Públicas Estaduais, Municipais ou do Distrito Federal, no país.
Período de inscrição: 6/7 a 20/8
Recursos: serão selecionados 20 projetos, cujo valor do apoio financeiro do MinC será de R$ 100.000,00 (cem mil reais).
Contato para dúvidas sobre o edital: edital.bibliotecasdigitais@cultura.gov.br
Onde se inscrever: http://sistemas.cultura.gov.br/propostaweb

Edital 2 – Prêmio de Incentivo à Publicação Literária, 200 Anos de Independência

Objeto: seleção e premiação de obras literárias inéditas em português do Brasil que abordem de forma livre a temática do Bicentenário da Independência do Brasil.
Período de inscrição: 6/7 a 11/9
Recursos: Serão contempladas 25 (vinte e cinco) obras literárias inéditas, no valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais).
Contato para dúvidas sobre o edital: premioliterario200anos@cultura.gov.br
Onde se inscrever: inscrições somente via Correios, de acordo com as instruções no edital.

Edital 3 – Feiras Literárias 2018

Objeto: apoio financeiro a entidades para a realização de feiras e ações literárias existentes no País, de acordo com os critérios definidos no edital.
Período de inscrição: 6/7 a 11/9
Recursos: serão selecionados 10 projetos no valor total de R$ 125.000; 4 (quatro) projetos no valor total de R$ 250.000 e 3 projetos no valor total de R$ 500.000 para Feiras e Ações Literárias, incluindo a contrapartida de 20%, nos termos do art. 6º da Lei nº 8.313, de 1991.
Contato para dúvidas sobre o edital: edital.feirasliterarias2018@cultura.gov.br ou pelo telefone (61) 2024-2831.
Onde se inscrever: http://www.convenios.gov.br

voltar